LIPOASPIRAÇÃO
mitos e verdades

 

O aumento da mudança dos hábitos de vida e atividades físicas foram a grande transformação dos últimos anos. A rotina das pessoas nas últimas décadas tem incorporado a necessidade diária de doses de saúde a fim de aumentar os anos de vida e fazer com  que esses anos sejam vividos com mais qualidade. 
Porém, além da preocupação com a qualidade de vida, também aumentou a preocupação das pessoas de todas as faixas etárias com a aparência estética. Além de se manter no peso ideal e tornear os músculos nas academias, também houve uma procura maior pela cirurgia plástica, a fim de realizar alguns ajustes no corpo saudável. O número de cirurgias plásticas realizadas no Brasil cresceu exponencialmente tornando o país o primeiro no mundo na realização de cirurgias plásticas. Dentre elas, a lipoaspiração tem sido a mais procurada permitindo retirar depósitos localizados e um tanto incômodos daquelas gordurinhas. 
Convidamos a Dra. Marla De Aguiar, cirurgiã plástica Especialista pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica, para nos esclarecer sobre os cuidados e as vantagens desse tipo de cirurgia.

RN: O que é a lipoaspiração?
Dra. Marla: É a cirurgia plástica responsável pela retirada de depósitos de gordura. Ela é realizada por meio de cânulas cirúrgicas que, através de pequenas incisões na pele, permitem a aspiração e retirada das gorduras.
 
RN: Ela permite o emagrecimento?
Dra. Marla:  A lipoaspiração não é e não deve ser vista como uma forma de emagrecimento. A cirurgia é indicada para retirada de alguns depósitos localizados de gordura (Ex: abdômen, cintura, braços, coxas) permitindo melhora do contorno corporal. Porém, o volume lipoaspirado não deve exceder 7% do peso corporal do paciente, a fim de manter a segurança do procedimento.
 
RN: Quando ela deve ser indicada?
Dra. Marla: A melhor indicação e os melhores resultados são para pacientes que estão no peso ideal, ou pouco acima dele, e apresentam queixas de alguns depósitos localizados de gordura que prejudiquem o contorno corporal.
 
RN: Qual o tipo de anestesia para a lipoaspiração?
Dra. Marla: Dependerá da extensão das regiões e da presença de doenças prévias em cada paciente. A cirurgia pode ser realizada por meio de diferentes tipos de anestesia; por exemplo, é possível realizarmos lipoaspiração com anestesia local para pequenas áreas (Ex: pequeno depósito de gordura abaixo da região umbilical). Porém, na maioria dos casos, ela é realizada com anestesia peridural (a mesma anestesia realizada nas cesarianas) ou anestesia geral.

RN: A lipoaspiração é perigosa?
Dra. Marla: Como em qualquer cirurgia, a lipoaspiração não é isenta de complicações. Riscos são minimizados principalmente se o paciente procurar por um cirurgião plástico Membro da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (o que quer dizer que o médico possui toda a formação necessária para a realização do procedimento) e realizar todos os exames solicitados no pré-operatório. Todos os cuidados orientados durante a consulta médica deverão ser seguidos rigorosamente a fim de que as complicações sejam minimizadas e, dessa forma, o procedimento torna-se o mais seguro possível.

RN: Homens também fazem lipoaspiração?
Dra. Marla: Nos últimos anos, a procura dos homens pela cirurgia plástica quadruplicou. A lipoaspiração é a cirurgia mais procurada por eles. Os homens apresentam algumas vantagens em relação às mulheres para a lipoaspiração, como o fato de possuírem uma pele mais espessa e que apresenta melhor retração mantendo-se mais firme após a cirurgia.

 

RN: A gordura retirada pode ser aproveitada em outra região?
Dra. Marla: Sim, é o que chamamos de Lipoescultura. A gordura retirada na lipoaspiração poderá ser tratada e reintroduzida no paciente em alguns lugares do corpo que precisem de mais volume. As áreas mais comuns para receberem essa gordura são: glúteos, quadris, cicatrizes deprimidas ou regiões da face que necessitam de preenchimento.
 
RN: A cirurgia é muito dolorosa?
Dra. Marla:  Leves a moderados incômodos poderão ser sentidos nos primeiros três dias após a cirurgia e eles dependerão da extensão da área abordada. Deixamos sempre analgésicos profiláticos, isso é, medicações que o paciente deverá tomar de horário nos primeiros dias, para evitar que qualquer incômodo seja sentido.

Dra. Marla De Aguiar

Cirurgiã Plástica Especialista pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica.

www.marladeaguiar.com.br